MENU

Brigada Militar realiza Operao Avante Escolar

Operao "Cooptare" Crédito: Portal RVA

Venncio-airense preso suspeito de integrar quadrilha de furto de gado no estado

Geovane Jardel Dutra de Paula, 40 anos, foi preso na regio de Vila Mariante

  • Venncio-airense  preso suspeito de integrar quadrilha de furto de gado no estado
    Foto: Jeferson Schwingel / RVA

Uma operação policial foi realizada na manhã desta quarta-feira (14) para desarticular organização criminosa investigada por furtar pelo menos mil cabeças de gado por ano no Rio Grande do Sul. A Polícia Civil concluiu nove inquéritos com crimes em pelo menos 13 cidades gaúchas, locais onde agentes cumpriram 48 mandados judiciais. O grupo também aliciava funcionários de fazendas, comprava gado com cheques sem fundo e ainda levava em caminhões os animais roubados de pecuaristas.

São cumpridos 17 mandados de prisão preventiva e dez de busca e apreensão. Em Venâncio Aires foi preso Geovane Jardel Dutra de Paula, conhecido como Maninho, de 40 anos. Ele foi detido na propriedade onde mora em Linha Santa Mônica na região de Vila Mariante.

Um caminhão com placas de Progresso também foi apreendido na casa do venâncio-airense. O veículo estava carregado com mais de uma tonelada de miúdos. Toda a carne será inutilizada e o caminhão foi recolhido ao guincho em Venâncio Aires.

Além de Venâncio Aires, as ações ocorreram nas seguintes cidades: Canoas, Arroio dos Ratos, Santa Maria, Camaquã, Progresso, Venâncio Aires, Quaraí, Santana do Livramento, Julio de Castilhos, Paraí, Bom Retiro do Sul, Palmeira das Missões e Dom Pedrito. São locais onde o grupo tinha ramificações ou contatos com envolvidos no esquema criminoso. Além destas localidades, a Polícia Civil está investigando a participação de um frigorífico de Arroio dos Ratos suspeito de ter ligação com os ladrões de gado.

O delegado responsável pela ação, Adriano Linhares, de Uruguaiana, destaca que os criminosos tinham uma forma diferente de agir.

- Eles cooptavam, aliciavam funcionários de fazendas em todo o estado para furtar gado dos seus patrões. Recebiam até 20% do valor de mercado de uma rês. E essa ligação é um problema por que muitos casos não foram registrados pelo fato de que as verdadeiras vítimas nem souberam que foram roubadas - afirma Linhares.

Em um dos casos, o proprietário de uma fazenda em Santana do Livramento ficou sabendo muito depois que teve 180 bovinos levados por ladrões por meio do contato com um de seus funcionários. Por este fato que a operação hoje foi chamada de "Cooptare".  

As medidas judiciais cumpridas hoje foram expedidas pela 2ª Vara da Comarca de Rosário do Sul e medidas cautelares também serão direcionadas para o ressarcimento futuro dos prejuízos acarretados às vítimas.

Tags: